Transparência: Servidores no comando

Servidores no comando

Presidente e vice da Funed são servidores com experiência na casa

Valorizar a prata da casa. Essa foi a promessa feita aos servidores da Funed pelo secretário de Saúde do estado, Wagner Eduardo Ferreira, em visita à Funed ainda antes de tomar posse, no final do ano passado.

A promessa foi cumprida, e hoje a Funed conta, depois de uma longa espera, com um alto comando formado por uma dupla de servidores efetivos com larga experiência na casa. O engenheiro químico com MBA em Gestão Institucional Maurício Abreu Santos, servidor da Funed há 32 anos, deixa a chefia da Unidade 5 para assumir a presidência.

Já o pesquisador Rodrigo Souza Leite, graduado em Ciências Biológicas pela UFMG, mestre em Ciência e Tecnologia das Radiações, Minerais e Materiais pelo Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear e doutor em Ciência e Tecnologia das Radiações pelo Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear, até então Diretor da DPD, assume a vice-presidência da casa.

Essas nomeações representam uma conquista e um desafio para os servidores. “Mais do que o Mauricio ou o Rodrigo, agora quem está no comando da casa são os servidores. Então, a responsabilidade dos colegas é grande: se tivermos uma gestão bem sucedida, é porque os trabalhadores estão sendo bem sucedidos no comando da casa”, afirmou o novo vice-presidente, lembrando a importância de os servidores se manterem unidos e coesos na gestão da Fundação. E ele completou: “Precisamos da ajuda de todos para que possamos fazer a Funed crescer e voltar a ser o orgulho de todos nós, dando grandes respostas à saúde pública e ao SUS”.

Maurício Santos está de férias, e tomará posse quando retornar. Enquanto isso, Rodrigo Leite responde interinamente pelo cargo. Nessa pequena entrevista, o novo vice-presidente conta um pouco da sua experiência e perspectivas para essa nova fase da Funed.

Funed: Como foi seu ingresso na Fundação?

Rodrigo Leite: Cheguei na Funed em 2007, tomei posse no dia 26 de abril. A Funed não fazia concurso há muitos anos e, com esse concurso, a casa passou por uma transformação: a troca, em 1 ano, de cerca de 80% dos servidores, que eram contratos temporários.

Entrei para o cargo de analista pesquisador, nível superior, e fui trabalhar no IOM, em qualidade em laboratórios. Fiquei um bom tempo da minha carreira no IOM. Na época, fui convidado a tocar o projeto que montou o primeiro ensaio de proficiência para HIV, com o objetivo de oferecer ensaios para os laboratórios macro-regionais do estado de Minas.

A necessidade cresceu, passamos a ofertar o ensaio para os 27 Lacens do estado. O programa cresceu, nós organizamos o Serviço de Ensaio de Proficiência, e essa foi minha primeira chefia na Fundação. Nós entramos no programa-piloto de provedores de ensaio de proficiência do Inmetro, passamos por uma avaliação e fomos um dos primeiros provedores acreditados no Brasil.

Funed: Que outros caminhos você trilhou por aqui?

Rodrigo Leite: Me tornei chefe do serviço em 2011, em 2013 me afastei porque fui convidado para ser secretário de saúde de Sabará. Mas era muito difícil conciliar a Secretaria com o Doutorado, e acabei retornando para a Funed, onde terminei o Doutorado, em 2015. Fui convidado para chefiar o Departamento de Controle de Qualidade. E quando a Carmen Lucia Soares Gomes, que era vice-presidente, assumiu interinamente, ela me convidou para ser chefe de gabinete dela. Quando ela saiu, eu saí do gabinete e assumi a Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento. E agora deixo a Diretoria para assumir esse novo desafio.

Funed: Foi uma surpresa ou você imaginava essa nomeação?

Rodrigo Leite: Eu fui pego de surpresa, minha expectativa era permanecer na Pesquisa, porque estamos num trabalha muito intenso, acabamos de conseguir aprovar o Mestrado Profissional. Com um pouco mais de um ano e meio na Diretoria, conseguimos unir a equipe, fizemos um projeto ousado de Mestrado, que foi aceito, colocamos o edital na rua e em fevereiro faremos a seleção da primeira turma. Fiquei surpreso com o convite, mas quem assume a Diretoria é a Silvia Fialho, que é a coordenadora do Mestrado. Isso dá força ao projeto, porque mostra que estamos no caminho certo. Na DPD, seguimos numa continuidade.

Funed: O que a nomeação de servidores da casa, como você e Maurício, representa para a Funed?

Rodrigo Leite: Eu acho a gente vai iniciar um projeto novo. Acho que a DPD ganha, acho que o IOM, que é a casa de onde eu venho, ganha, e isso fortalece essas duas diretorias, que têm uma queixa de que estão sempre em segundo plano em relação à Diretoria Industrial.

Já a nomeação do Maurício, que é servidor da DI, reforça o papel dessa diretoria. Então, eu acho que, com o Maurício na presidência e eu na vice-presidência, vamos ter um equilíbrio entre as três grandes áreas da Funed. Vamos trabalhar de forma unida para isso, acho que agora a Funed vai trabalhar aquela tão sonhada harmonia entre as áreas.

 

Veja mais notícias de: Transparência

Publicado em: 05 de janeiro de 2019 14:52

Última atualização: 25 de fevereiro de 2019 14:54