Funed aproxima conhecimento científico da comunidade

Conhecer a pesquisa em saúde e aproximar o conhecimento científico dos alunos – esses foram os objetivos da professora de biologia, Caroline Silva da Paula, ao trazer seus alunos do terceiro ano para o Programa Portas Abertas da Funed. A segunda edição aconteceu nesta quinta-feira (13/6) e recebeu estudantes do curso de biomedicina da Universidade Fumec, de ensino médio da Escola Educar, do Profissionalizante Santo Agostinho e da Escola Estadual Coronel Adelino Castelo Branco.

Quando alguns assuntos são tratados em sala de aula, como a segurança alimentar e a vigilância epidemiológica, é muito difícil para os estudantes enxergarem tudo isso em seu cotidiano, relatou a professora Caroline, completando: “Ao trazermos os alunos a uma instituição como a Funed, eles conseguem ver de forma mais objetiva o conteúdo que é visto em sala de aula”. O aluno Lucas Pinheiro Pereira concordou: “Achei interessante saber que Belo Horizonte, em Minas Gerais, tem um centro de pesquisa tão amplo. Eu não sabia que a Funed era até uma referência nacional em animais peçonhentos. Adorei a visita, conhecer a história por trás da instituição. É maravilhoso”.

A visita é dividida em três momentos: exposição de serviços e produtos, palestra temática e visita ao circuito Funed. Na exposição dos serviços da Fundação, os visitantes conheceram o que são os meios de cultura, a sua importância para o diagnóstico de doenças e para a identificação de microrganismos em alimentos e água contaminada. Aprenderam também como é o ciclo de descontaminação, higienização e esterilização, que garante a qualidade e segurança do trabalho dos laboratórios da Fundação.  Ambas as exposições foram realizadas pela Divisão de Higienização e Produção de Meio de Cultura. A Unidade de Gestão Ambiental também apresentou como é o reuso de materiais que seriam descartados pela instituição e são transformadas em bolsas, capas para agendas e objetos de decoração.

No segundo momento do Portas Abertas, o pesquisador e gestor da Divisão de Ciência e Inovação, Marcos Mol, apresentou as pesquisas da Fundação em saúde e meio ambiente, que investigam os problemas ambientais com impacto na saúde pública em três linhas de estudos: gestão de resíduos, epidemias associadas ao saneamento e presença de fármacos em efluentes.

Os alunos puderam também conhecer a história da Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento, sua estrutura, projetos e o programa de pós graduação em Biotecnologia. As pesquisas e os trabalhos desenvolvidos pela Funed geram resultados imediatos na saúde pública para a população por meio dos laudos realizados nos laboratórios de controle epidemiológico, além de produzirem impactos em longo prazo por meio da pesquisa científica.

Conheça os grupos de pesquisa da Funed

Depois da palestra e da exposição, os visitantes percorrem o circuito Funed, que incluiu a  visita guiada à Biblioteca Histórica da Funed, à réplica do antigo Laboratório de Bacteriologia do pesquisador Ezequiel Dias; ao serpentário da Fundação e às exposições do Caminhão Ciência em Movimento, que traz informações sobre animais peçonhentos e doenças negligenciadas.

 

Portas Abertas

Para receber o público interessado nas atividades da Fundação, a Assessoria de Comunicação Social criou o programa Portas Abertas – uma ação de aproximação da Funed com a comunidade para apresentar a ela seus principais serviços, pesquisas e instalações por meio de visitas guiadas mensais. A primeira edição foi em maio, 28/5.

A Funed é um exemplo que a professora de biomedicina Amália Verônica Mendes da Silva cita em suas aulas quando se refere ao diagnóstico de doenças como dengue, zika, febre amarela e chikungunya. Trazer os alunos para conhecerem o trabalho da Funed é uma oportunidade para que eles vissem como é a prática da atuação em saúde e pesquisa científica, diferente da teoria ensinada em sala de aula. “Nós os trouxemos aqui para que eles vissem as possibilidades da área que eles escolheram para a vida deles. E é fantástico você mostrar um projeto que existe em prol da população, não somente de Minas Gerais, mas do país inteiro e que existe desde o século passado”.

Trazer a comunidade para o ambiente de pesquisa científica e entrar em contato com pesquisadores é uma das propostas do programa.
“O Porta Abertas é uma forma muito boa de nos colocar – nós, pesquisadores –  em contato direto com o público. Aqui as pessoas podem fazer perguntas, é um espaço para o diálogo e é muito rico. É uma oportunidade de tirar dúvida com quem está fazendo a pesquisa”, explicou o pesquisador Marcos Mol.

Quer também conhecer um dos principais centros de referência em pesquisa e inovação científica no Brasil? Agende a sua visita aqui

Por Priscilla Fujiwara