Perfil do viajante: Rodrigues Teodoro da Costa

 

 

Pelo menos uma vez por mês, o técnico em eletrônica Rodrigues Teodoro da Costa troca o medidor de voltagem pelo mundo das abelhas. Do serviço de manutenção e calibração ele viaja por todo estado como voluntário no Programa Ciência em Movimento, que chega, hoje (24/6), em Juvenília, município no extremo norte do estado, na divisa com a Bahia.

Há dez anos Rodrigues entrou na Funed, mas foi só em 2016 que fez a sua primeira viagem com o Ciência em Movimento para a cidade de Ferros, a convite de seu amigo Milton Silveira da Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento. Depois disso, não parou mais. Já visitou cerca de 15 cidades pelo Programa, porém o seu carinho é pelo Norte de Minas, onde vê o quanto a divulgação científica e a popularização da ciência é importante, “lá tem pessoas mais carentes e humildes, uma educação básica mais precária”, explicou o técnico em eletrônica sobre as melhores experiências desde que entrou no projeto. “Atender as crianças e passar o nosso conhecimento é muito gratificante, elas chegam muito eufóricas, querendo aprender e algumas não sabem nem onde fica o ferrão de uma abelha”.

Até os seus 22 anos, Rodrigues morava na zona rural de Morada Nova de Minas e sempre gostou de viver em contato com a natureza, mas não sabia ainda sobre como lidar com as abelhas, “eu até as prejudicava, a gente acaba extraindo o mel de forma inadequada, prejudicando as abelhas e hoje eu vejo que não é o método certo o que eu fazia”.

No programa de divulgação científica, Rodrigues é monitor e apresenta a morfologia e a organização das abelhas para as crianças, além de auxiliar na montagem da exposição, “tenho muito carinho pelas abelhinhas, pois elas são muito organizadas, principalmente as africanizadas”.  Empolgado, ele poderia ficar horas explicando como nós dependendo direta e indiretamente delas, e de seu apreço especial por sua organização social e a sua importância para a alimentação. São inúmeros os produtos que as abelhas produzem, como mel, cera e própolis. Até o seu veneno é aproveitado a partir da melitina, que é usada pela indústria da beleza. “O que eu mais foco na exposição é reforçar a importância das abelhas para a polinização das flores. Setenta por cento dos nossos alimentos dependem delas, são as polinizadoras mais importantes. Eu valorizo muito as abelhas por causa de sua importância para a natureza”.

Mais do que ensinar, quem participa do Programa aprende muito também. Hoje, Rodrigues conhece melhor sobre outros projetos da Fundação, sobre o mundo dos animais peçonhentos e sobre o trabalho de seus colegas da Fundação, que carinhosamente chama de “Família Buscapé”.

Quando estudou eletrônica, nunca imaginou que um dia uma de suas atividades seria também ser monitor de um programa de divulgação científica. Ideias e projetos que não faltam a Rodrigues para as exposições educativas, como aplicar um pouco de tecnologia para interagir mais com as crianças, “podemos usar um óculo de realidade virtual, uma tecnologia para que as crianças vejam as cobras, as serpentes, os escorpiões e as abelhas em 360 graus. Até para explicar fica melhor, como se eles estivessem ao vivo com o animal”. Outras ideias já viraram realidade, como é o caso da adequação que fez para que o chocalho da réplica da cascavel vibrasse quando alguém se aproximasse e fosse identificado por uma espécie de sensor. “Isso foi possível, através de um motor preso ao chocalho usando arduíno, que é uma placa eletrônica com microcontrolador, programável, usado para automação e controle de algo explicou o técnico sobre a sua contribuição para a melhoria implantada” exemplificou Rodrigues sobre como o seu trabalho como técnico em eletrônica pode colaborar com o Ciência em Movimento.

A viagem a Juvenília está sendo organizada pela Fundação Caio Martins (Fucam), que é parceira do Programa Ciência em Movimento por meio do Termo de Parceria firmado entre Funed, Fucam e Escola de Saúde Pública (ESP), assinado na comemoração do aniversário de 110 anos da Funed. A exposição do Programa começa amanhã (25/6), na Quadra de Esportes Antônio Ortiga.

Serviço:

Exposição do Ciência em Movimento, de 25 a 28 de junho.
25/6 a 27/6: das 8h às 12h e das 13h às 17h
28/6: das 8h às 11h
Local: Quadra de Esporte Antônio Ortiga
Rua Antônio Ferreira de Alkmin, 230
Temas: Serpentes, aranhas, escorpiões, abelhas, dengue e leishmaniose, além de videoteca e oficinas de arte.

Palestra “Animais Peçonhentos”
Jaqueline Leal dos Santos  (Serviço de Proteômica e Aracnídeos)
Daniel Gonçalves Pinho  (Serviço de Produção de Soros)
Data e horário: 25/6/19, das 8h às 12h
Tema: Animais Peçonhentos
Local: Câmara Municipal de Juvenília
Rua Bernardo da Fonseca Pinto, 342, Centro, Juvenília

Por Priscilla Fujiwara

Veja mais notícias de: Destaque

Publicado em: 24 de junho de 2019 - 15:06