Funed inicia hoje (7/4) o processo de embalagens do Entecavir

A Diretoria Industrial da Fundação Ezequiel Dias (Funed) deu início hoje, dia 7 de abril, ao processo de embalagem de comprimidos do Entecavir, medicamento indicado para o tratamento de infecção crônica pelo vírus da hepatite B. A Funed fechou um contrato em que serão entregues ao Ministério da Saúde 5.610.900 de comprimidos, que corresponde a 17 lotes. Nesta primeira fase já estão sendo produzidos seis lotes, que serão entregues na primeira semana de maio. A previsão é que os próximos lotes sejam produzidos em sequência.

Estão envolvidos na produção deste medicamento, os servidores da Divisão de Planejamento e Gestão da Produção (DPGP), da Divisão de Produção de Medicamentos (DPM), da Divisão de Controle de Qualidade (DCQ) e da Divisão de Desenvolvimento de Medicamentos (DDM) que, apesar da pandemia do Covid-19, estão ativamente trabalhando para cumprir os prazos de entrega do contrato, como salientou o diretor industrial, Bruno Pereira.

 

Etapas de produção

O processo de produção do Entecavir começou com a homologação da ordem de produção pela Divisão de Garantia da Qualidade (DGQ), em seguida foi emitida a ordem de produção pela Divisão de Planejamento e Gestão da Produção (DPGP). Logo em seguida, houve o fracionamento de todas as matérias-primas e o IFA nos dias 11 e 12 de março, para que estes fossem transportados para a Fiocruz / Farmanguinhos, no Rio de Janeiro.

Em Farmanguinhos, foram realizadas as etapas de fabricação, manipulação, compressão e revestimento, atividades que foram acompanhadas pela equipe da Divisão de Desenvolvimento de Medicamentos (DDM) e Divisão de Garantia da Qualidade (DGQ) que também realizou o treinamento in loco da equipe de Farmanguinhos. Enquanto isso, acontecia na FUNED a qualificação de desempenho da envasadora pela equipe do Serviço de Validação e Qualificação (SVQ) e Serviço de Produção da Unidade III (SPUIII). Após esta fase, a Funed realizou o transporte dos comprimidos de Farmanguinhos de volta à Fundação, onde aconteceu a análise dos comprimidos pela DCQ. E hoje (7/4) a DI iniciou o processo de embalagem.

Segundo o diretor da DI, “antes disso, vale ressaltar que a Funed adquiriu e analisou todos os insumos de produção, que são as matérias-primas e materiais de embalagem, insumos e consumíveis analíticos”. Bruno também reforçou que a produção do Entecavir trata-se de um Projeto de Desenvolvimento de Produtivo (PDP) assinado com o Ministério da Saúde em 2010. “Nesta PDP, o desenvolvimento do medicamento foi interno, realizado pela equipe da Funed. Não houve transferência de tecnologia de produção do medicamento a partir de empresa farmacêutica privada, como acontece na maioria dos casos. A transferência foi apenas da produção do IFA.”, explicou. Após o processo de embalagem são realizadas análise do controle de qualidade e liberação da garantia da qualidade.

Por Priscilla Fujiwara