Funed participa da Marcha pela Ciência

Mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus, a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) seguirá em frente com a realização da Marcha pela Ciência, neste ano no formato on-line. O evento acontece na próxima quinta-feira, dia 7 de maio, e tem a Fundação Ezequiel Dias (Funed) como uma das organizadoras. A manifestação chama a atenção para a importância da ciência no enfrentamento da pandemia de Covid-19 e de suas implicações sociais, econômicas e para a saúde das pessoas.

Para a Diretora de Pesquisa e Desenvolvimento, Silvia Fialho, a marcha tem um papel fundamental neste ano. “Está sendo demonstrada a importância da ciência no combate a doenças emergentes, seja com novos diagnósticos, novas ações de epidemiologia e com o desenvolvimento de novos tratamentos e vacinas. Assuntos como a necessidade de financiamento científico estão em pleno destaque no momento atual, principalmente pelo fato de que ainda existem grandes desafios em saúde que a ciência pode continuar contribuindo”, reforçou.

As atividades serão transmitidas pelas redes sociais da SBPC como Facebook e YouTube (@SBPCnet), ao longo do dia. Na programação inicial, entre 10h30 e 12h, vai ao ar um painel sobre a pandemia da Covid-19 e, das 15h30 às 16h30, outro painel discute o financiamento da ciência no Brasil. Além de seminários on-line, serão promovidos dois “tuitaços” no dia, às 12h e às 18h, com as hashtags #paCTopelavida e #FiqueEmCasacomaCiência. Nos horários intermediários, as associações científicas regionais ficarão responsáveis por suas programações.

Na Funed, estão programados posts nas redes sociais como Facebook, Instagram e Twitter, sobre temas como “A Ciência na proteção da vida”, “Popularização da Ciência” e “Combate à Covid-19”, com o objetivo de fazer com que mais pessoas conheçam o trabalho desenvolvido na Fundação. Segundo o vice-presidente Rodrigo Leite, a Fundação, neste momento, é a principal instituição responsável pelas análises laboratoriais para o enfrentamento do coronavírus. “Para que possamos lidar com mais desafios de saúde pública, é necessário mais investimento e mais olhar público para o desenvolvimento científico, tecnológico e para a educação. Isso porque temos que formar pessoas que irão desenvolver tecnologia e inovação para a Saúde”, concluiu.

A Marcha

A Marcha pela Ciência (ou March for Science) é um movimento internacional em prol da valorização da ciência pelas entidades políticas. A 1ª Marcha pela Ciência foi realizada em 610 cidades pelo mundo, no dia 22 de abril de 2017.

Em Minas Gerais, 13 instituições parceiras do movimento organizam uma agenda de atividades regionais, entre elas um manifesto visando sensibilizar a população e autoridades políticas para a valorização das ciências. O documento destaca as perdas de quase R$25 bilhões em Ciência e Tecnologia nos últimos quatro anos, após a aprovação da Emenda Constitucional 95 (em 2016), que restringiu investimentos e reduziu o orçamento da saúde, educação e ciência.

A Marcha Digital pela Ciência em Minas é organizada pela Fundação Ezequiel Dias (Funed); CEFET-MG; Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz); Pensar Educação, Pensar o Brasil; Fundação Maurício Grabois; União Estadual dos Estudantes; União Nacional dos Estudantes; Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG); Associação de Pós-Graduandos da UFMG (APG UFMG); Sindicato dos Docentes do CEFET-MG (SindCEFET-MG); Instituto de Ciências Biológicas de Minas Gerais (ICB);  Periódicos de Minas; e Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG), campus Betim.