Funed sequencia 40 genomas do novo coronavírus que circula em MG

O vírus da Covid-19 que circula em Minas Gerais tem as mesmas características ou já sofreu algum tipo de mutação? Os sintomas mais graves do coronavírus são provocados por um vírus diferente dos demais? Estas são algumas das perguntas que motivaram os pesquisadores da Fundação Ezequiel Dias (Funed), em parceria com a Fiocruz, a sequenciarem o genoma do vírus SARS-CoV-2. Foram 24 horas para sequenciar 40 genomas, a pesquisa mais representativa em Minas Gerais até o momento.

Segundo Marluce Oliveira, diretora do Laboratório Central de Saúde Pública da Funed, os resultados preliminares mostram que todas as sequências de genomas isoladas em Minas Gerais se agrupam formando um clado único (grupo), ou seja, são similares. “Mesmo que tenham uma relação filogenéticas próxima, ainda sim a Funed irá analisar mais amostras e realizar o sequenciamento genético da SARS-CoV-2 para termos mais informações sobre a dispersão do vírus no estado de Minas Gerais”. Este é um trabalho a longo prazo, de vigilância genômica, afirma a diretora, que pode indicar respostas sobre a relação dos subtipos de vírus com os sintomas apresentados e como se dá a circulação e a dispersão do vírus no estado.

A pesquisa de sequenciamento genético em Minas Gerais é importante para subsidiar as ações de vigilância em saúde e as tomadas de decisões do governo, reforçou Marluce de Oliveira, “a Funed promove a saúde da população de Minas Gerais gerando informação para o monitoramento epidemiológico da infecção causada pelo SARS-CoV-2”, concluiu.

O projeto é desenvolvido pela Funed com colaboração do grupo liderado pelo pesquisador Luiz Alcântara da Fiocruz. Os resultados deste estudo serão disponibilizados como um pré-print na Revista online BioRxiv.

Por Priscilla Fujiwara / ACS Funed