Pesquisadores da Funed publicam artigos para otimizar diagnóstico da leishmaniose

Pesquisadores da Fundação Ezequiel Dias (Funed) trabalham em diversas frentes para otimizar o diagnóstico da leishmaniose visceral canina (LVC). Os resultados das ações foram publicados, recentemente, em dois artigos de revistas especializadas.

O primeiro, intitulado Leishmaniose visceral: uma estratégia prática para o diagnóstico molecular quantitativo em cães naturalmente infectados, propôs um diagnóstico quantitativo simples, rápido e acurado de PCR (Reação em Cadeia da Polimerase) em tempo real (qPCR) para LVC. “A principal vantagem da metodologia proposta é a praticidade para a quantificação molecular de modo mais simples e rápido, sem a necessidade da utilização de curvas padrão e dosagens prévias de DNA, o que traz agilidade ao ensaio, quando comparado a outros métodos moleculares quantitativos”, explica o pesquisador Sérgio Caldas, chefe do Serviço de Biotecnologia e Saúde (SBS), da Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento (DPD).

O estudo se mostra como uma alternativa de diagnóstico quantitativo específico para a LVC, já que o diagnóstico desta infecção apresenta algumas limitações. Além de Sérgio, participaram do estudo os pesquisadores Gilson Faria, Fernanda de Oliveira Silva e Ana Caroline Zampiroli Ataíde, do SBS/DPD; Lucas Maciel Cunha, do Serviço de Controle Biológico/Diretoria Industrial; Andreza Pain Marcelino, ex-servidora do Serviço de Doenças Parasitárias, do Instituto Octávio Magalhães (IOM) – atualmente servidora da Fiocruz-RJ –, além de outros pesquisadores externos.

Os resultados foram publicados na revista Parasitology Research, que disponibiliza material sobre o desenvolvimento da parasitologia em diversas áreas, como biologia, medicina e medicina veterinária. Acesse o artigo na íntegra neste link.

O segundo estudo, Diagnóstico comparativo baseado em PCR para a detecção de Leishmania infantum em cães naturalmente infectados, apresenta uma proposta de padronização do uso da PCR no diagnóstico da LVC como um instrumento adicional à investigação sorológica, que pode funcionar como uma ferramenta para programas de vigilância em saúde. A pesquisa, desenvolvida pelo Serviço de Doenças Parasitárias (SDP/IOM), Laboratório de Referência Nacional para o diagnóstico da LV, comparou a sensibilidade e a especificidade de cinco alvos em regiões do DNA (kDNA /120, kDNA/145, ITS1, hsp70/234 e hsp70/1300), em quatro amostras de diferentes tecidos (medula óssea, linfonodo poplíteo, pele e swab conjuntival) para o diagnóstico da LVC.

“Nossos resultados sugerem que as amostras de linfonodos poplíteos (região situada na face caudal das articulações dos joelhos dos cães) e swab conjuntival, além de serem menos invasivas, representam um bom substrato para o diagnóstico baseado em PCR, e o alvo kDNA/145 é a melhor escolha para detectar DNA de L. infantum em cães naturalmente infectados. Nesse estudo, o alvo KDNA/145 foi capaz de identificar 100% dos animais infectados, considerando todas as amostras avaliadas”, afirma Job Alves de Souza Filho, pesquisador do SDP/IOM.

Os pesquisadores Andreza Pain Marcelino; Fernanda Alvarenga Cardoso e José Ronaldo Barbosa, do SDP/IOM, além de pesquisadores externos, participaram do estudo. O artigo foi publicado no volume 207/2020 da revista Acta Tropica, periódico internacional sobre doenças infecciosas que abrange ciências da saúde pública e pesquisa biomédica, e pode ser acessado na íntegra por este link. Os dados apresentados corroboram com o estudo desenvolvido pelo vice-presidente da Funed, Rodrigo Souza Leite, publicado em 2011, que demonstra que o swab conjuntival é um método sensível e prático para coleta de amostra para o diagnóstico da LVC.

A doença

A leishmaniose visceral é uma doença zoonótica causada por Leishmania infantum e transmitida por picadas de mosquito flebotomíneos a seres humanos e animais. Cerca de 200 mil a 400 mil novos casos de LV ocorrem no mundo todos os anos. No Brasil, a LV está presente em praticamente todos os estados, com média de três mil novos casos por ano, com prevalência variando de 1,9% a 35% em áreas endêmicas e com alta taxa de letalidade, podendo chegar a 100% de letalidade se não tratada, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

No país, os cães são considerados o principal reservatório doméstico do parasita e uma das ações para controlar a LV é a eutanásia de animais infectados. Atualmente, o diagnóstico da LVC é principalmente sorológico e, portanto, está sujeito aos fatores limitantes desse tipo de exame, como possibilidade de reações cruzadas com outros patógenos e não detecção em amostras com baixos títulos de anticorpos. Essa última situação pode ocorrer tanto no início da infecção, quando ainda há fraca resposta imune, quanto no estágio final da doença devido ao imunocomprometimento causado pela LV.

Já o PCR é um método molecular com alta especificidade, que pode auxiliar no diagnóstico da LV, particularmente no protocolo de primeiro caso canino, em que é preciso confirmar com testes moleculares a presença da Leishmania infantum em regiões onde não há casos confirmados de leishmaniose visceral humana ou canina, ou no esclarecimento de casos com diagnósticos sorológicos divergentes.

3 comentários em “Pesquisadores da Funed publicam artigos para otimizar diagnóstico da leishmaniose

  • 30 de maio de 2020 em 06:25
    Permalink

    Excelente trabalho de aplicação imediata e resultado relevante para saúde pública

  • 28 de maio de 2020 em 20:44
    Permalink

    Boa noite. Elsou.acadêmica do 5 período de biomedicina na Universidade Metodita Izabela Hendrix. Neste semestre na disciplina de parasitologia clínica estamos realizando uma pesquisa para apresentar na terça dia 2/060um trabalho sobre Leishmaniose Visceral. Adorei a publicação, acredito que ela vai contribuir muito para a apresentação em grupo. O fato da utilização de swab ocular é inédito. Gostaria de saber mais sobre as pesquisas e se há outros método novos para diagnóstico do.protozoário.
    Parabéns a toda equipe de pesquisadores e também, parabéns a FUNED pela.publicação nas redes sociais. Acompanho e admiro o trabalho de todos vocês. No futuro espero uma oportunidade de me juntar nesse equipe fabulosa e competente

    Cordialmente,
    Griciane de Andrade

    • 13 de julho de 2020 em 16:21
      Permalink

      Griciane, somente agora tivemos condições de responder o seu comentário. Você poderá encontrar informações sobre outros diagnósticos disponíveis no próprio artigo da matéria e amplamente na literatura. Deixamos o nosso convite para que você venha visitar o Laboratório de Referencia Nacional em Diagnóstico da Leishmaniose Visceral, no Serviço de Doenças Parasitárias (SDP) na Funed. Já realizamos visitas guiadas no SDP e aulas sobre testes diagnósticos para algumas turmas de bacharelado, mestrado e doutorado e médicos residentes. Caso haja interesse, podemos agendar uma visita com a sua turma ou alguns alunos, após esse contexto de pandemia.

Fechado para comentários.