Dia da Cobra e Popularização da Ciência: conheça os trabalhos que a Funed desenvolve

Elas rastejam, são silenciosas, se escondem em lugares difíceis de serem encontradas e, quando menos se espera, dão o bote! As cobras são animais misteriosos e muito temidos, mas também de grande beleza e hábitos curiosos. Para lembrar a importância deste animal no ecossistema e também de combater os mitos criados sobre ele, o dia 16 de julho foi escolhido como o Dia Mundial da Cobra.

A Fundação Ezequiel Dias (Funed), que já foi conhecida como o “Instituto das Cobras”, realiza diversos trabalhos envolvendo estes animais, com visitas ao tradicional Serpentário; educação e popularização da ciência – com palestras e exposições para estudantes e profissionais de saúde dos programas Ciência em Movimento e Funed em Casa; além das pesquisas científicas, vocação histórica da Fundação.

Em busca de tesouros bioquímicos escondidos na natureza, a equipe do Serviço de Bioquímica de Proteínas de Venenos Animais (SBVA), da Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento (DPD), procura identificar e aprofundar estudos de moléculas presentes nos venenos de serpentes, em especial dos gêneros Bothrops Lachesis, em busca de proteínas com potencial terapêutico, principalmente para tratar quadros de desordens no sistema hemostático, como as tromboses.

Além disso, a Funed mantém uma coleção científica de serpentes, iniciada em 1986 e que possui hoje mais de 4 mil espécimes, sendo a maior parte constituída por serpentes coletadas em Minas Gerais. As biólogas Flávia Cappuccio de Resende e Priscilla Moreira Tavares atuam com pesquisas e manutenção deste acervo. “As pesquisas que são realizadas na Coleção estão relacionadas, principalmente, à área do conhecimento morfológico, sobretudo, a respeito da biologia reprodutiva de serpentes. Seus resultados podem ter aplicação na reprodução destes animais em cativeiro, matéria de suma importância para a manutenção de serpentes na Funed, utilizadas em pesquisas desenvolvidas dentro e fora da Fundação”, explicam.

A Coleção Científica da Funed é cadastrada como fiel depositário da fauna silvestre e certificada pela ISO:9001. Sua manutenção tem como objetivo a promoção de ações científicas e educativas, contribuindo para a preservação do patrimônio institucional e ampliação do acesso da sociedade ao conhecimento relacionado às serpentes brasileiras. Por possuir uma excelente representatividade da diversidade de serpentes, é visitada com frequência por pesquisadores de todo o Brasil.

Atualmente, o acervo da Funed é composto por representantes de nove famílias de serpentes e duas de lagartos, que se encontra disponível para consultas on-line, obedecendo a uma política de acesso ao acervo, além de documentos como guias de remessa, doação e empréstimo de exemplares. “Essas ações contribuem sobremaneira para a organização das suas atividades e ainda conferem credibilidade ao seu trabalho. Vários estudos taxonômicos e sobre aspectos reprodutivos vêm sendo realizados por meio da utilização de espécimes de seu acervo”, explica Giselle Agostini Cotta, bióloga curadora da Coleção.

Sobre a importância da preservação de acervos científicos, Giselle diz que “é fundamental para garantir à sociedade e às gerações futuras o acesso às informações associadas às coleções, bem como proporcionar a capacitação de recursos humanos, a realização de pesquisas, a divulgação de informações importantes para a comunidade e ainda garantir a preservação do patrimônio natural. Nesse sentido é importante que sejam estabelecidas políticas, em todos os níveis, para a conservação e preservação de acervos tão valiosos”. Todo o acervo da Coleção Científica da Funed está disponível nos sites do species  e SiBBr.

Por ser conhecida e reconhecida pelo seu trabalho com as serpentes, que a Funed foi convidada para uma ação de popularização da Ciência promovida pelo Museu MM Gerdau nesta quinta-feira (23/7). A chefe do Serviço de Coleção Científica e Popularização da Ciência, Giselle Cotta, apresentou em um vídeo esclarecedor a importância das serpentes para o ecossistema, o histórico de trabalhos realizados pela Funed, além de apresentar a relevância de uma coleção científica para a sociedade e para a preservação das espécies. A equipe do programa Ciência em Movimento também produziu um tutorial lúdico e divertido ensinando como transformar canudos em uma cobrinha. Confira nos vídeos abaixo: 

 

Por Nayane Breder  (Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento)

Veja mais notícias de: Geral

Publicado em: 23 de julho de 2020 13:57

Última atualização: 23 de julho de 2020 14:21