Dia da Cobra: Jiboned é destaque na exposição fotográfica “Foco na Cobra”, realizada pelo Serpentário

Uma das cobras mais populares na Funed é a Jiboned. A Boa constrictor, popular jiboia, foi encontrada em uma árvore na Praça Raul Soares, centro de Belo Horizonte, e teve o seu nome escolhido pela população em 2019. Foram mais de 400 nomes sugeridos nas redes sociais da instituição e, um ano após o início da campanha, ela está de volta e é destaque na exposição fotográfica “Foco na Cobra”, mostra realizada pelo Serpentário nas redes sociais e site da Funed.

Considerada a segunda maior serpente do Brasil, a jiboia pode chegar até a três metros.  É uma cobra tipicamente brasileira e não tem veneno, porém isso não significa que ela não seja perigosa. “Ela gosta de se alimentar com pequenos mamíferos e aves e, apesar de não ser venenosa, ela é extremamente forte, se enrola na presa e a mata por asfixia”, explicou Léo Noronha, um dos idealizadores da exposição e servidor do Serviço de Animais Peçonhentos, também conhecido como Serpentário da Funed.

Os funcionários da Instituição não acreditam que ela tenha ido parar numa praça no centro da cidade sozinha, mas que tenha sido abandonada lá. Normalmente, a jiboia é uma cobra muito agressiva, porém a nova mascote da Funed é muito mansa por ter sido criada desde filhote em cativeiro. A visitante inusitada foi imediatamente levada pelo Corpo de Bombeiros até a Fundação Ezequiel Dias (Funed), onde está até hoje, como uma das cobras que mais chamam a atenção de quem visita o Serpentário.

Exposição “Foco na Cobra”

Com as visitas ao público suspensas – devido às medidas de prevenção durante o período de pandemia causado pelo novo coronavírus, os servidores do Serpentário e fotógrafos Rafael Batista e Leo Noronha fizeram uma curadoria de seu acervo de imagens das cobras do Serpentário, que estarão na exposição virtual “Foco na Cobra”.

Dia 16/7: Dia da Cobra [Foco na Jiboned]

 

A mostra foi idealizada pela equipe do Serpentário para celebrar o Dia Mundial da Cobra, 16 de julho, data criada para combater os mitos em torno do animal, promover a sua preservação e, principalmente, destacar a sua importância para o meio ambiente. No Serviço de Animais Peçonhentos hoje, têm 200 cobras e na exposição são 29. Foram selecionadas fotos de espécies de cobras que menos chegam na Funed, como é o caso Suaçuboia (Corallus hortulana).

A exposição começou a partir do dia 13/7, nas redes sociais da Funed. Durante esta semana, todos os dias novas fotos com um olhar único, científico e atento dos fotógrafos estão sendo apresentados ao público. Ao final, o acervo da exposição será disponibilizado no site da instituição.

Popularização da Ciência

Além da exposição fotográfica virtual, em alusão ao Dia da Cobra, a Funed irá “ocupar virtualmente” o Museu MM Gerdau. No dia 23 de julho, a chefe do Serviço de Coleção Científica e Popularização da Ciência, Giselle Cota, irá apresentar em um vídeo esclarecedor sobre a importância das serpentes para o ecossistema, o histórico de trabalhos realizados pela Funed, além de apresentar a relevância de uma coleção científica para a sociedade e para a preservação das espécies.

A equipe do programa Ciência em Movimento também irá ensinar em um tutorial lúdico e divertido como transformar canudos em uma cobrinha. Todo material poderá ser acessado nos canais do Youtube do Museu MM Gerdau e da Funed.

 Serviço:

Exposição Virtual Fotográfica “Foco na Cobra”
Data: a partir do dia 13 ao dia 17/7, com atualizações diárias
Local:  rede sociais e site da Funed