Funed publica recomendações para diagnóstico de micobactérias não tuberculosas

A Fundação Ezequiel Dias (Funed), que faz parte do Governo de Minas, por meio do Serviço de Doenças Bacterianas e Fúngicas (SDBF), disponibilizou em seu site o guia Recomendações para o diagnóstico e teste de sensibilidade para micobactérias não tuberculosas (MNT) no estado de Minas Gerais. O documento é destinado a todo profissional que presta assistência ao paciente, bem como aqueles envolvidos no fechamento dos casos e investigações epidemiológicas, por isso servirá para orientar médicos, enfermeiros e profissionais da epidemiologia na correta interpretação dos resultados da Funed, possibilitando a instituição da terapia adequada aos pacientes.

O que são micobactérias não tuberculosas?

Micobactérias não tuberculosas (MNT) é o termo utilizado para identificar as espécies do gênero Mycobacterium distintas de M. leprae e das que compõem o Complexo M. tuberculosis. “Essas espécies estão globalmente distribuídas, sendo encontradas em todos os continentes e nos mais diversos habitats, como reservatórios naturais de água, sistemas de distribuição de água potável e estações de tratamento de água e de esgoto, encanamentos, banheiras de hidromassagem e spas, piscinas públicas, máquinas de gelo, edifícios danificados pela água, entre outros”, explica Élida Leal, analista do SDBF.

Ao contrário das espécies do Complexo Mycobacterium tuberculosis, que podem desencadear a tuberculose no homem e em animais, as MNT podem provocar quadros clínicos variados, desde infecções assintomáticas até doenças pulmonares e/ou extrapulmonares de órgãos diversos como linfonodos, pele, ossos, tendões, olhos, rins, entre outros. Élida ressalta que, como as MNT estão distribuídas no ambiente (água, solo, partículas de poeira, entre outros), estamos constantemente expostos a elas, porém, a exposição não implica, necessariamente, infecção e desenvolvimento de doença.

De acordo com diversos estudos, inúmeros fatores são determinantes para o adoecimento, por exemplo, o potencial patogênico da espécie de MNT que infecta o indivíduo e, principalmente, o estado imunológico desse indivíduo e/ou presença de doenças pré-existentes de natureza pulmonar (tuberculose prévia, silicose, entre outras) que tornarão o organismo mais susceptível ao desenvolvimento da doença por MNT. “Pacientes com doença relacionada ao HIV, oncológicos e aqueles em uso de terapia imunossupressora são os mais susceptíveis e, em tempos de pandemia, uma grande preocupação são os indivíduos que tiveram a covid-19 e sofreram danos pulmonares importantes. Esses pacientes constituirão um grupo de risco para o desenvolvimento futuro de doença pulmonar por MNT”, explica a analista.

Diagnóstico na Funed

O papel da Funed, por meio do Laboratório de Micobacterioses (SDBF), é prover um diagnóstico assertivo, de qualidade, oferecido em tempo hábil para que o paciente possa ser tratado de forma adequada e seja curado. “Desde 2019, passamos a ofertar também o teste de sensibilidade para micobactérias não tuberculosas, que é um importante instrumento para orientar o médico na conduta terapêutica, sobretudo, nos casos de resistência ou falência ao tratamento”, acrescenta Élida, que explica, ainda, que o Guia foi criado a partir de uma necessidade de divulgação de informações importantes para interpretação dos exames usados no diagnóstico laboratorial das infecções por MNT e para padronizar os critérios para realização do Teste de Sensibilidade.

Os critérios para diagnóstico e interpretação de Teste de Sensibilidade para MNT informados no Guia e que serão a partir de agora adotados em Minas Gerais foram baseados em consensos internacionais de Pneumologia. Os guias da Sociedade Torácica Americana (American Thoracic Society, 2007) e Britânica (Thorax, 2017) foram as principais referências utilizadas para elaboração do protocolo do estado. Clique aqui e acesse o documento

Por Vívian Teixeira

Veja mais notícias de: Geral

Publicado em: 16 de outubro de 2020 11:33

Última atualização: 16 de outubro de 2020 11:34