Funed desenvolve trabalho para monitorar a redução de açúcar em alimentos

Iniciativa em conjunto com o MS e a OPAS monitora os níveis do componente em alimentos industrializados

A Fundação Ezequiel Dias (Funed), por meio de seu Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), apresentou os primeiros resultados do trabalho feito em conjunto com o Ministério da Saúde (MS) e a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) para reduzir os níveis de açúcares em alimentos.

A atuação faz parte do que foi previsto na carta acordo Análise de açúcares no contexto do Plano de Redução de Açúcares em Alimentos Industrializados, assinada pelas instituições em agosto de 2020. O objetivo do trabalho é avaliar o perfil nutricional e o cumprimento de metas de redução dos teores de açúcares em categorias prioritárias de alimentos constantes no Plano de Redução de Açúcar em Alimentos Industrializados, por meio de análise de rotulagem e análise química. Além disso, também busca-se definir, verificar, validar e aperfeiçoar as metodologias para a determinação dos teores de açúcares nos alimentos usadas em laboratórios oficiais. O trabalho é executado na Divisão de Vigilância Sanitária e Ambiental (Divisa), pelos serviços de Análise de Rotulagem (Sarot), Físico – Química de Produtos (SFQP) e Química Especializada (SQE) do Lacen/Funed.

Análises preliminares dos rótulos dos produtos mostram que, em alguns alimentos, há composições nutricionais variadas dentro de uma mesma categoria alimentar. Na categoria bebida láctea não fermentada, por exemplo, é possível encontrar, para uma mesma porção, valores que variam até 400% do conteúdo de açúcares. Já no waffer, os valores variaram até 300%. “Isso significa que um fabricante utiliza, de maneira geral, cerca de três ou quatro vezes mais açúcar do que outro”, explica Cristiane Goddard, uma das coordenadoras do trabalho na Funed.

Cristiane explica, ainda, que, entre as atividades realizadas, estão a de análise de rotulagem, validação de metodologias e a determinação de açúcares totais nos produtos, tais como: bebidas adoçadas (refrigerantes, néctares e refrescos), biscoitos (waffers ou doces, com e sem recheio), bolos e misturas, lácteos (bebidas lácteas, iogurtes, leites fermentados e Petit Suisse) e achocolatados em pó.

“No que diz respeito às análises físico-químicas, testes de refratometria e polarimetria foram realizados em bebidas adoçadas e achocolatadas”, conta Cristiane. A refratometria e a polarimetria são métodos analíticos empregados em laboratório de análises. A primeira usa índices de refração de líquidos para determinar a concentração de açúcar em determinados alimentos. Já a segunda, usa o polarímetro como instrumento para auxiliar na distinção de diferentes soluções de açúcar.

É importante ressaltar que esse trabalho está integrado ao contexto do Plano de Redução de Açúcares em Alimentos Industrializados e do Termo de Compromisso para redução dos teores de açúcar em diferentes alimentos, firmado em 2018 entre o Ministério da Saúde e associações do setor produtivo de alimentos.

Consumo elevado

Valéria Martins, chefe do Serviço de Análise de Rotulagem do Lacen/Funed e também coordenadora do projeto, lembra que o consumo desses alimentos é elevado pela população brasileira e, além disso, os mesmos contêm alto teor de açúcares em sua composição. “O consumo exacerbado desses alimentos pode também contribuir para o aumento de doenças crônicas não transmissíveis, a exemplo da diabetes e da obesidade”, alerta a coordenadora.

A Organização Mundial da Saúde (OMS), recomenda uma baixa ingestão de açúcares livres ao longo de toda a vida. De acordo com dados do MS, os brasileiros consomem 50% a mais de açúcar do que o recomendado pela OMS. Isso significa que, por dia, cada brasileiro consome em média 18 colheres de chá do produto (o que corresponde a 80g de açúcar/dia). Do total consumido pelo brasileiro atualmente, 64% corresponde a açúcares adicionados, aquela colherzinha a mais inserida aos alimentos. O restante do consumo é o açúcar presente nos alimentos industrializados.

Escolha do LACEN

Para o coordenador da Divisão de Vigilância Sanitária e Ambiental da Fundação, Kleber Baptista, a escolha do Lacen/Funed para a condução desse projeto é um reconhecimento pelo MS e pela Opas da capacidade e competência técnica da Fundação. “É um trabalho bastante criterioso e de relevância nacional. Isso porque um dos objetivos é a indicação dos métodos mais adequados para uma padronização das análises de monitoramento do Plano de Redução, permitindo a comparabilidade dos resultados e apresentados aos demais laboratórios oficiais”, afirma Kleber.

Veja mais notícias de: Destaque

Publicado em: 16 de março de 2021 17:35

Última atualização: 17 de março de 2021 15:50

Um comentário em “Funed desenvolve trabalho para monitorar a redução de açúcar em alimentos

  • 17 de março de 2021 em 20:52
    Permalink

    Parabéns a toda equipe pelo brilhante trabalho.

Fechado para comentários.