Funed é responsável por mais da metade das entregas da Rede de Sequenciamento

Desde fevereiro de 2021, o Laboratório Central de Saúde Pública da Fundação Ezequiel Dias (Lacen/Funed) é o representante de Minas Gerais na Rede Nacional de Sequenciamento Genético para a Vigilância em Saúde, criada pelo Ministério da Saúde (CGlab). Na última semana, foi apresentado relatório parcial da Rede e a Funed é responsável por mais da metade dos sequenciamentos feitos até agora no Brasil dentro desse projeto.

A meta do CGLAB é investigar as mutações e possíveis novas variantes circulantes no Brasil com o sequenciamento de 1.200 genomas de SARS-Cov-2. Até o momento, já foram sequenciadas e encaminhadas à CGlab 469 amostras, sendo que a Funed foi responsável por entregar 249 delas, 53% do quantitativo. Além da Funed, participam do trabalho em rede os Lacens da Bahia, de São Paulo (Instituto Adolfo Lutz) e Instituto Evandro Chagas (Pará).

Além das amostras de Minas Gerais, o Lacen/Funed recebe material do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, Rio de Janeiro e Espírito Santo. Para Talita Adelino, referência técnica do Laboratório de Biologia Molecular do Serviço de Virologia e Riquetsioses da Funed, esse é uma atividade fundamental para entender o comportamento do vírus da covid-19 e atuar da melhor forma na sua contenção. “É um trabalho que gera uma série de dados que possibilitam decisões estratégicas em saúde pública”, avalia.

Talita acredita que, com os dados disponíveis até agora, o que se pode observar é a mudança no perfil das linhagens. “No ano passado, eram comuns algumas linhagens. Já neste ano, observamos a prevalência da linhagem P2 e, a partir de fevereiro e março, a P1 passa a ser detectada na maior parte das amostras estudadas. Ainda precisamos estudar mais a fundo essa dinâmica, mas pode ser que essa mudança esteja relacionada ao aumento de casos, com maior transmissibilidade e/ou gravidade das ocorrências. Estudos mais detalhados ainda precisam ser feitos nesse sentido”, afirma Talita.

Colaboração relevante

O trabalho desenvolvido pela Funed na Rede coloca Minas Gerais como protagonista na área de sequenciamento genético nacional. Embora os Institutos Adolfo Lutz e Evandro Chagas sejam os Centros Nacionais de Influenza (NICs, na sigla em inglês) e atuem no acompanhamento permanente das mudanças genéticas de vírus que abastecem os dados do Sistema Global de Vigilância e Resposta à Influenza da Organização Mundial da Saúde (OMS), a Funed tem dado uma produtiva contribuição para o trabalho da CGlab. O Laboratório de Vírus Respiratório e do Sarampo do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) também cumpre esse papel, enquanto referência nacional para influenza junto ao Ministério da Saúde, mas a Fiocruz não participa desse Projeto do CGlab.