Funed recupera nascentes de sua Fazenda Experimental

Nos dias 2 e 3 de setembro, os servidores do Serviço de Fazenda Experimental (SFE) e do Serviço de Gestão Ambiental (SGAmb) da Fundação Ezequiel Dias (Funed) realizaram um esforço conjunto em prol da recuperação das nascentes da Fazenda São Judas Tadeu. Durante dois dias, foi feita limpeza e retirada de material que assoreava as nascentes. Também foram realizadas contenções e proteções necessárias à perenidade do recurso hídrico, conforme orientação dos técnicos da Prefeitura Municipal de Betim, que contribuíram para a ação.

Fábio de Souza Luiz, chefe do SFE, explica que, antes da ação ser realizada, foram feitas reuniões de trabalho em que eram debatidos os limites e os desafios do meio ambiente local. “Assim, estabeleceu-se, a partir de metodologia específica de priorização, que as nascentes seriam o foco das primeiras intervenções. O trabalho teve início com o planejamento e junção dos recursos necessários (mão de obra e material) e a realização da atividade propriamente dita”, explica Fábio.

Antes do trabalho de recuperação, por conta do assoreamento, quase não havia água de superfície. O local estava tomado por sujeira e material arenoso, prejudicial ao manancial. Com a intervenção, foi possível proteger o local em que a nascente está brotando, de modo a perenizar o recurso d’água. Com isso, nota-se significativo volume de água seguindo o curso de um pequeno córrego que desemboca nos demais córregos do entorno. Esses, por sua vez, seguem até chegar aos rios Paraopeba e São Francisco.

Para Fabiana Barbosa, chefe do SGAmb, a ação demonstra o esforço e o compromisso da Fundação e de seus servidores em conservar os recursos naturais existentes na Floresta e na Fazenda, tão relevantes para a vida humana e animal. “Além disso, é um incentivo para que as pessoas, de modo geral, se empenhem individualmente e na própria Funed, no sentido de reforçar a importância da manutenção e da conservação dos recursos naturais. A ação ainda marca as novas possibilidades de utilização do espaço da Floresta e da Fazenda para a realização de pesquisas e como instrumento de educação ambiental”, acredita Fabiana.

Batismo

Como o trabalho foi realizado em duas nascentes, os servidores que participaram da ação fizeram o batismo simbólico dos espaços, atribuindo os nomes Nascente União e Nascente Rogério. O nome União buscou simbolizar que a união entre as pessoas, mesmo diante das adversidades, é capaz de realizar importantes e significativas ações. E o nome Rogério buscou homenagear o funcionário da Funed que, à época, organizou um grupo de pessoas e ações no sentido de criar a Floresta Estadual São Judas Tadeu.

O SFE agradece a todos os que colocaram a mão na massa e aos que apoiaram e incentivaram a realização do trabalho, bem como aqueles que manifestaram o desejo de realizá-lo e que, por força maior, não puderam. A Fazenda segue de portas abertas para receber os servidores da Funed.