Ministério da Saúde visita Funed e propõe ações de enfrentamento ao sarampo e rubéola

Nesta segunda e terça-feira, dias 20 e 21 de setembro, uma equipe de técnicos do Ministério da Saúde (MS), que compõe o Plano de Ação para Fortalecimento da Vigilância Laboratorial do Sarampo e Rubéola esteve na Fundação Ezequiel Dias (Funed) com o objetivo de conhecer a estrutura do Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen-MG), trocar experiências e construir propostas para o combate do sarampo e da rubéola no estado.

O evento também contou com a participação de representantes da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), das áreas de Vigilância Epidemiológica e da Coordenação Estadual de Laboratórios em Pesquisa e Vigilância (Celp), e foi uma oportunidade de juntos, Funed e SES-MG, conversarem com os técnicos do MS, expondo as experiências exitosas e os principais desafios para se alcançar melhores resultados no sentido de erradicar o sarampo no Brasil. O diretor do Instituto Octávio Magalhães (IOM/Funed), Glauco Carvalho, destacou a importância de retomar encontros presenciais como esse e de ações com diferentes frentes de trabalho. “O laboratório não pode ser focado somente nos resultados dos exames. É preciso pensar na doença como um todo, inclusive participando da vigilância epidemiológica”, frisou.

Para a referência técnica do Laboratório de Vírus Respiratórios da Funed, André Felipe Leal, a visita foi um importante momento para integração entre as diferentes esferas, contribuindo para o fortalecimento das relações e para o estabelecimento de parcerias. “A expectativa é que muitos frutos possam ser colhidos a partir dessa iniciativa. Além disso, foi uma oportunidade para apresentar o trabalho que desenvolvemos no Serviço de Virologia e Riquetsioses (SVR), expor onde avançamos e, principalmente, demonstrar onde estão os pontos que limitam nossas ações”, afirmou.

Izabela Trindade, que faz parte da Coordenação Geral de Laboratórios de Saúde Pública (CGLAB), do MS, e participou da visita, reforçou a importância da chamada tríade para o sucesso de ações em tempo oportuno para eliminar o sarampo do país. “É preciso que tanto a rede de laboratórios, quanto a vigilância e a vacinação estejam em perfeita harmonia para o sucesso das ações. Na Funed, vimos que o trabalho vem sendo muito bem realizado, com equipamentos avançados e operantes, além de um corpo técnico altamente qualificado”, destacou.

Contextualização

Em 2018, ocorreu a reintrodução do vírus de sarampo no Brasil, ocasionando a perda do Certificado de Eliminação de Sarampo em seu território. Desde então, o país tem que cumprir uma série de medidas estruturantes que buscam a eliminação da circulação do vírus no território nacional. O Lacen-MG/Funed é o pilar laboratorial das ações Integradas da Vigilância para o sarampo e a rubéola no país.

Na Funed, a Vigilância Laboratorial de Sarampo e Rubéola é realizada por duas metodologias principais: a sorologia e a biologia molecular. Já o sequenciamento genético é realizado pelo laboratório de referência nacional. O SVR dispõe de equipamentos com tecnologia de ponta e utiliza ferramentas de epidemiologia molecular para auxiliar a vigilância na elucidação de surtos e epidemias, a exemplo da epidemia de sarampo que ocorreu em Minas Gerais entre 2018 e 2019. “Minas Gerais já realiza o diagnóstico molecular para essa patologia desde 2018 e foi um dos Lacens pioneiros na disponibilização desse exame. Além disso, dispomos de capacidade de sequenciamento genético, análise, montagem de genomas e elucidação molecular sobre as cadeias de transmissão afetas ao sarampo. Entretanto, quando se trata de testes sorológicos, temos um caminho de muitas oportunidades para trilhar e nos desenvolver”, explicou a chefe da Divisão de Epidemiologia e Controle de Doenças do Lacen-MG/Funed, Ana Luísa Furtado Cury.

Atualmente, o SVR disponibiliza o diagnóstico laboratorial em tempo oportuno para sarampo e rubéola, e produzirá, trimestralmente, boletins laboratoriais informativos para os municípios e profissionais de saúde. “A expectativa é que, a partir do encontro, novas diretrizes sejam formuladas pelo MS para consecução do nosso maior objetivo: eliminação do sarampo no Brasil e recertificação de país livre da doença”, reforçou a referência técnica em sarampo da Funed, André Leal. Outro ponto discutido nos dois dias da visita foi a importância do diagnóstico diferencial em amostra negativas e diagnóstico reverso das amostras negativas de dengue zika e chikungunya e doenças relacionadas. Para André, esse é um tema novo e, muito provavelmente, a materialização dessa proposta, inclusive com investimentos em equipamentos e tecnologia, visa auxiliar na elucidação casos. Isso porque ao ampliar o número de agentes testados, oferta-se melhores condições para o encerramento laboratorial dos casos.

Participantes

Ao longo dos dois dias da visita, a equipe do MS teve a oportunidade de conhecer os laboratórios do Lancen-MG e participar de discussões com representantes dos diferentes setores. Estiveram presentes na visita técnica: Izabela Trindade, Mayara Miranda, Izabel Lopes e Josafá Nascimento, do Ministério da Saúde;  Gilmar Rodrigues, Luciene da Rocha, Natália Santana e Carolina Senra, da SES-MG; além de diversos servidores da Funed.