Ministério da Saúde visita áreas da produção de soros da Funed

Entre os dias 10 e 12 de maio, a Fundação Ezequiel Dias (Funed) recebeu a visita de técnicas da Coordenação Geral de Vigilância de Zoonoses e Doenças de Transmissão Vetorial, do Departamento de Doenças Transmissíveis e da Secretaria de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde (MS). Lúcia Montebello, Mércia Sindeaux Frutuoso e Sheila Nara Borges conheceram de perto as instalações voltadas para a produção de soros, além de realizarem uma visita técnica à Fazenda São Judas Tadeu, com foco no processo de produção de plasma.

Segundo a diretora Industrial da Funed, Ana Paula Teixeira, o objetivo da visita foi mostrar as tecnologias empregadas nos processos produtivos de soros e plasmas, bem como discutir os principais entraves e dificuldades hoje enfrentadas para a retomada em definitivo do processo produtivo de soros da Fundação. “O intuito é que esse contato mais próximo com as técnicas do Ministério da Saúde possa subsidiar o planejamento da pasta quanto às aquisições desse imunobiológico, em atendimento às demandas do Programa Nacional de Imunizações”, frisou a diretora.

A consultora técnica da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Lúcia Montebello, agradeceu a acolhida de todos e destacou a forma como o conteúdo foi repassado. “Aprendemos, de uma maneira pedagógica e repassada com muita competência, todo o processo de produção dos soros e estamos extremamente sensibilizados e felizes pelo conhecimento adquirido e por ver de perto a complexidade e a tecnologia de ponta existente hoje na Funed. O Ministério da Saúde tem muito interesse nessas parcerias, essenciais para o fortalecimento do Sistema Único de Saúde e nossa prioridade final é atender à população e às questões de saúde pública, valorizando os laboratórios públicos”, reforçou a técnica do MS.

Para o presidente da Funed, Felipe Attiê, vários esforços estão sendo feitos para retomar a produção dos soros. “Sabemos da capacidade da Funed em voltar a abastecer o Brasil, a América Latina e aos demais mercados que precisam dos vários soros aqui produzidos, sejam eles de serpentes, escorpiões, soro antirrábico e todos os outros que a Funed fez por 100 anos e estão há sete anos parados”, ressaltou.

Produção de soros
O fornecimento de soros antivenenos pela Funed está suspenso desde 2017, quando se iniciou um processo de adequações de sua planta para atendimento às normas de Boas Práticas de Fabricação. A interrupção foi feita após alinhamento com o Ministério da Saúde e com os demais institutos produtores de soros no país.

Ao longo do ano de 2022, houve a produção de três lotes de soro antibotrópico para validação de processo e validação de limpeza, para atendimento às Boas Práticas de Fabricação (BPF) da área. Em dezembro de 2022, a atual planta de produção de soros recebeu a inspeção conjunta da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e da Vigilância Sanitária Estadual (Visa-MG). Após essa inspeção, foi elaborado um plano de ação e enviado aos órgãos reguladores, e uma nova inspeção está programada para o segundo semestre deste ano.

A Funed está atualmente certificada para produzir o SCG (Soro Concentrado a Granel), uma vez que cumpre com as Boas Práticas de Fabricação. A expectativa é que, até o final do ano, a Fundação obtenha a certificação para as demais etapas de fabricação do soro, que é o produto intermediário “SPAG – Soro Produto Acabado a Granel” e o “LFS – Lote Final de Soro”.

Veja mais notícias de: Destaque

Publicado em: 17 de maio de 2023 16:27