Análise para diagnóstico de leishmaniose visceral humana

 

Descrição do serviço: realização de análise para diagnóstico de leishmaniose visceral humana – doença infecciosa caracterizada por febre de longa duração, aumento do baço e fígado, perda de peso, fraqueza, anemia e outras manifestações clínicas. Geralmente, é de evolução lenta e se não tratada, pode levar a óbito até 90% dos casos. No Brasil, é causada pelo protozoário Leishmania infantum.

A associação das infecções causadas pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV) e pelo protozoário Leishmania spp caracteriza a coinfecção Leishmania-HIV. Esta coinfecção é considerada doença emergente de alta gravidade em várias regiões do mundo.

A transmissão ocorre pela picada do inseto/vetor (Lutzomyia longipalpis). No Brasil, o inseto transmissor é popularmente conhecido como mosquito palha, birigui, tatuquira, entre outros.

As manifestações clínicas variam de acordo com o tempo de evolução da doença. No período inicial, ocorre febre, aumento discreto de baço e fígado e palidez, podendo estar presentes, também, tosse e diarreia. Se não tratado, o paciente evolui para o período de estado caracterizado por aumento de baço e fígado, persistência da febre, piora da palidez cutaneomucosa e emagrecimento progressivo. O período final da doença associa-se com infecções bacterianas, desnutrição proteico-energética grave, manchas vermelhas na pele, sangramentos cutâneos ou digestivos, sendo as infecções bacterianas as responsáveis pela maioria dos óbitos.

O tratamento existe, é gratuito e está disponível na rede de serviços do SUS. Quanto mais precoce o diagnóstico, maiores serão as chances de cura.

Na Funed são realizados exames sorológicos, parasitológicos e moleculares para o esclarecimento diagnóstico de casos suspeitos de leishmaniose visceral.

Valor do serviço: gratuito

Órgãos responsáveis: Funed, Secretaria Estadual de Saúde e Secretaria Municipal de Saúde.

Quem pode utilizar este serviço: todos os usuários do SUS, desde que respeitados os critérios clínicos e epidemiológicos da doença.

Como utilizar o serviço:

1ª etapa: o usuário do SUS, no aparecimento dos primeiros sintomas, deve procurar uma unidade de saúde.

2ª etapa: confirmada a suspeita da doença por um profissional de saúde, este irá solicitar o exame.

3ª etapa: a coleta será realizada pela unidade de saúde e o material coletado será encaminhado ao laboratório de referência do município, laboratório de apoio do estado ou à Funed, de acordo com o fluxo do município.

4ª etapa: após a realização do exame, o resultado será disponibilizado para a unidade de saúde solicitante via sistema de informação (GAL) ou formulário próprio do laboratório executor.

5ª etapa: o usuário do SUS deve procurar a unidade de saúde onde foi realizada a coleta para ter acesso ao resultado (a responsabilidade da entrega do resultado é da unidade de saúde solicitante).

Quanto tempo leva: a partir do dia em que a amostra é entregue na Funed, o resultado é liberado em 5 dias.

Em caso de alguma adversidade ou necessidade de realizar algum exame extra para esclarecer o diagnóstico, este prazo poderá ser alterado.

Legislação/documentos: Nota Informativa Nº 3/2018-CGLAB/DEVIT/SVS/MS;

Solicitação médica da unidade de saúde

Dúvidas frequentes:

A Funed faz coleta de amostras?

Não, a coleta de amostras para os exames realizados pela Funed é realizada nas unidades de saúde.

A Funed entrega resultados de exames?

Não, o resultado dos exames é entregue pela Funed via sistema de informação (GAL) para a unidade de saúde solicitante.