Funed na Luta contra a AIDS

 

 

Este ano, o Ministério da Saúde lançou a campanha 30 Anos do Dia Mundial de Luta Contra a Aids – Uma Bandeira de Histórias e Conquistas. A Fundação Ezequiel Dias (Funed) reforça a relevância desta data, 1º de dezembro, e ratifica a importância de toda a população ter acesso aos exames de Carga Viral e CD4, e também ao tratamento antirretroviral.

Josiane Barbosa Piedade Moura, do Laboratório de Sorologia de HIV (SVR-DIOM), acredita que a data é simbólica, pois a infecção pelo HIV é uma pandemia e, embora as formas de transmissão sejam bastante conhecidas, a incidência vem aumentando a cada ano. “É importante conscientizar a população sobre os riscos de infecção, sobre a importância do diagnóstico precoce e também acerca  das possibilidades de tratamento. Quando a infecção pelo HIV foi descoberta, era comumente associada a grupos de risco, em especial usuários de drogas injetáveis, homossexuais e profissionais do sexo. Nos dias atuais, não há mais grupos de risco e, sim, comportamento de risco”, afirma.

A especialista esclarece que o diagnóstico da infecção pelo HIV pode ser realizado por várias metodologias, desde que atendam a um dos fluxogramas estabelecidos pelo Ministério da Saúde, que podem ser consultados no Manual Técnico para o Diagnóstico da infecção pelo HIV. O diagnóstico sorológico é realizado por pelo menos dois testes em série, sendo um teste de triagem e outro teste confirmatório. “Aqui, o diagnóstico de triagem é realizado pela metodologia Quimioluminescência e o confirmatório por western blot ou immunoblot rápido. Há também a possibilidade de se realizar o diagnóstico por Carga Viral, quando não é possível fechar o caso com os testes sorológicos ou quando há uma urgência justificada, situação de gestantes, por exemplo”, detalha Josiane.

“O diagnóstico sorológico do HIV pode ser realizado, gratuitamente, na rede pública de saúde”, acrescenta Josiane. Ela explica que, mesmo sem pedido médico, é possível realizar o exame, por meio do Programa Fique Sabendo. Não é necessário justificar o motivo da realização do exame, apenas apresentar documento original com foto e fornecer as informações necessárias para o preenchimento da ficha de encaminhamento.

A Funed atua tanto no diagnóstico da infecção pelo HIV quanto no monitoramento do paciente após diagnóstico. Em nenhum momento a Fundação tem contato com o paciente, mas as amostras coletadas nos centros de saúde vêm para a Fundação para que sejam realizados os exames de triagem sorológica, de Carga Viral do HIV e a Quantificação de linfócitos TCD4+ e TCD8+.

Até o momento, foram realizados na Funed, somente em 2018, 15.186 testes de triagem sorológica do HIV, e 444 testes confirmatórios; 23.472 testes de quantificação de carga viral e 10.468 testes de quantificação de linfócitos TCD4+ e TCD8+.

Patrícia Alves Silva Loures, do Laboratório de Carga Viral e CD4 (SVR-DIOM), explica que esses exames auxiliam o monitoramento da evolução clínica da infecção; possibilitam a adoção de terapias preventivas às infecções oportunistas, buscam a efetividade do tratamento e também auxiliam o diagnóstico de criança exposta. “A partir do momento que o paciente recebe o diagnóstico, deverá ser encaminhado a um infectologista para dar início à terapia antirretroviral. A frequência do acompanhamento do paciente depende da resposta ao tratamento e condição clínica”, reforça Patrícia.

trabalho desenvolvido pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas gerais (SES-MG) realiza ações de promoção da saúde, prevenção, diagnóstico, assistência e tratamento às doenças sexualmente transmissíveis e às pessoas que vivem e convivem com DST/HIV/AIDS/Hepatites Virais, visando controlar o avanço do número de casos e a melhoria da qualidade de vida.

Acessibilidade