Leishmaniose tegumentar

 

Descrição da doença: análise para diagnóstico da Leishmaniose Tegumentar Americana (LTA) – doença infecciosa que provoca úlceras na pele e mucosas. A doença é causada por protozoários do gênero Leishmania sp. No Brasil, há sete espécies de parasitos envolvidas na ocorrência de casos de LTA. As mais importantes são: Leishmania amazonensis, Leishmania guyanensis e Leishmania braziliensis.

A transmissão da LTA ocorre praticamente em todo o território nacional. A LTA não é uma doença contagiosa, Ou seja, uma pessoa doente não é capaz de transmitir a doença diretamente à outra pessoa. É necessária a picada de fêmeas infectadas do inseto (popularmente conhecido como mosquito palha, tatuquira, birigui, entre outros).

Os sintomas são lesões na pele e/ou mucosas. As lesões de pele podem ser única, múltiplas, disseminada ou difusa. Elas apresentam aspecto de úlceras, com bordas elevadas e fundo granuloso, geralmente indolor. As lesões mucosas são mais frequentes no nariz, boca e garganta. Quando atingem o nariz, podem ocorrer entupimentos, sangramentos, coriza e aparecimento de crostas e feridas. Na garganta, os sintomas são dor ao engolir, rouquidão e tosse.

O diagnóstico laboratorial é muito importante, tendo em vista o número de doenças que fazem diagnóstico diferencial com a LTA – como, por exemplo, sífilis, hanseníase e tuberculose.

Entre as medidas de prevenção estão o uso de mosquiteiros, roupas que protejam pernas e braços, telas em portas e janelas e uso de repelentes. Além do manejo ambiental, por meio da limpeza de quintais e terrenos, para evitar o estabelecimento de criadouros para larvas do vetor.

Os exames realizados na Funed para o esclarecimento diagnóstico de casos suspeitos de LTA são:

– Diagnóstico parasitológico por microscopia óptica;

– Diagnóstico por biologia molecular em indivíduos com suspeita clínica e epidemiológica para a doença.

Valor do serviço: gratuito

Órgãos responsáveis: Funed, Secretaria Estadual de Saúde e Secretaria Municipal de Saúde.

Quem pode utilizar este serviço: todos os usuários do SUS, desde que respeitados os critérios clínicos e epidemiológicos da doença.

Como utilizar o serviço:

1ª etapa: o usuário do SUS, no aparecimento dos primeiros sintomas, deve procurar uma unidade de saúde.

2ª etapa: confirmada a suspeita da doença por um profissional de saúde, este irá solicitar o exame.

3ª etapa: a coleta será realizada pela unidade de saúde e o material será encaminhado ao laboratório de referência do município, laboratório de apoio do estado ou Funed de acordo com fluxo do município.

4ª etapa: após a realização do exame o resultado será disponibilizado para a unidade de saúde solicitante via sistema de informação (GAL) ou formulário próprio do laboratório executor.

5ª etapa: o usuário do SUS deve procurar a unidade de saúde onde foi realizada a coleta para ter acesso ao resultado (a responsabilidade da entrega do resultado é da unidade de saúde solicitante).

Quanto tempo leva: A partir do dia em que a amostra é entregue na Funed, o resultado é liberado em 09 dias.

Em caso de alguma adversidade ou necessidade de realizar algum exame extra para esclarecer o diagnóstico, este prazo poderá ser alterado.

Legislação/documentos: Nota Técnica: CVRNB/DVA/SVEAST/Sub. VPS-Nº011/2017.

Solicitação médica da unidade de saúde

Dúvidas frequentes:

A Funed faz coleta de amostras?

Não, a coleta de amostras para os exames realizados pela Funed é realizada nas unidades de saúde.

A Funed entrega resultados de exames?

Não, o resultado dos exames é entregue pela Funed por computador via sistema de informação (GAL) para a unidade de saúde solicitante.