Leishmaniose visceral canina

 

Descrição do serviço: realizar análise para diagnóstico da leishmaniose visceral – doença importante em saúde pública, causada pela picada do inseto/vetor (Lutzomyia longipalpis) infectado pelo parasita Leishmania infantum. O principal reservatório da leishmaniose visceral é o cão que, quando infectado, transmite a doença ao homem ou a outros animais através da picada do inseto. O quadro clínico da leishmaniose visceral no cão pode variar desde animais sem sinais clínicos até animais com doença severa, podendo apresentar perde de pelo, hiperqueratose no focinho, emagrecimento, aumento de gânglios, aumento de baço e fígado, aumento das unhas, dentre outros sinais. Mesmo cães sem sinais clínicos podem transmitir a doença, sendo o controle dos cães um dos focos da vigilância epidemiológica.

O diagnóstico laboratorial da leishmaniose visceral canina pode ser realizado em cães provenientes de área em investigação epidemiológica por técnicas sorológicas, denominadas teste rápido imunocromatográfico e ELISA. Estas técnicas detectam anticorpos anti-Leishmania no soro dos animais investigados. Existem outros métodos de diagnóstico como exames diretos (para verificação do parasito em aspirado de medula óssea, aspirado de linfonodo poplíteo, biópsia de baço e demais tecidos hematopoiéticos) e exames moleculares como PCR para detecção do DNA do parasito. Estes métodos, porém, são utilizados apenas em situações específicas com identificação do primeiro caso de leishmaniose visceral canina em uma determinada área.

Valor do serviço: gratuito

Órgãos responsáveis: Funed, Secretaria Estadual de Saúde e Secretaria Municipal de Saúde

Quem pode utilizar este serviço: todos os cidadãos tutores de cães, desde que respeitados os critérios epidemiológicos da doença.

Como utilizar o serviço:

1ª etapa: o tutor do animal receberá a visita em sua casa de um agente de endemias do município que fará o exame inicial no cão no neste mesmo momento ou encaminhará o material coletado para realizar os testes diagnósticos no laboratório do município de coleta, laboratório de apoio do estado ou Funed de acordo com fluxo do município.

2ª etapa: caso o animal apresente resultado positivo no teste inicial, deverá ser realizado teste confirmatório no laboratório do município de coleta, laboratório de apoio do estado ou Funed de acordo com fluxo do município.

3ª etapa: nas situações em que o material biológico for encaminhado para a Funed, a instituição realizará o(s) exame(s) e disponibilizará o(s) resultado(s) por via sistema de informação (GAL) para a unidade de saúde solicitante.

4ª etapa: nas situações de resultados positivos para leishmaniose visceral canina a unidade de saúde do município responsável pela coleta do material irá entrar em contato para liberação do resultado. Para os cães com resultado negativo o tutor ficará responsável por solicitar este resultado para a unidade responsável.

Quanto tempo leva: a partir do dia em que a amostra é entregue na Funed, o resultado é liberado em 09 dias.

Em caso de alguma adversidade ou necessidade de realizar algum exame extra para esclarecer o diagnóstico, este prazo poderá ser alterado.

Legislação/ documentos: Portaria 057 de 26 setembro de 2016; Orientação Técnica SDP/IOM/FUNED Nº 002/2017/ Solicitação de exame do município.

Dúvidas frequentes:

A Funed faz coleta de amostras?

Não, a coleta de amostras para os exames realizados pela Funed é realizada nas unidades de saúde.

A Funed faz exame clinico dos cães suspeitos para leishmaniose visceral?

Não, a Funed tem a responsabilidade de realizar apenas os exames laboratoriais.

A Funed entrega resultados de exames?

Não, o resultado dos exames é entregue pela Funed por computador via sistema de informação (GAL) para a unidade de saúde solicitante.