PARA A FUNED COMPLETAR
110 ANOS DE HISTÓRIA E AVANÇOS QUE
CONTRIBUEM PARA A SAÚDE PÚBLICA DO PAÍS !
Notícias e Destaques

O que a Funed está produzindo?

Muito além de indústria farmacêutica, a Fundação também é responsável por pesquisas científicas e pela vigilância em saúde dos mineiros

A Fundação Ezequiel Dias (Funed), que completa 110 anos em agosto, tem um papel fundamental na promoção e proteção da saúde pública e integra o Sistema Estadual de Saúde. É vinculada à Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES/MG) e possui um quadro de, aproximadamente, 1.200 colaboradores, de nível técnico a pós-doutorados.

Com três diretorias técnicas, sua atuação é protagonista na vigilância em saúde, pesquisa e desenvolvimento e enquanto Laboratório Oficial do Estado, que integra a Associação de Laboratórios Farmacêuticos Oficiais do Brasil (Alfob).

Instituto Octávio Magalhães

Diretoria da Funed em que funciona o Laboratório Central de Minas Gerais (Lacen/MG). Dividido em três áreas (Epidemiologia e Controle de Doenças, Vigilância Sanitária e Higienização e Produção de Meios de Cultura), é o Laboratório responsável pela vigilância epidemiológica, ambiental e de saúde do trabalhador, realizando análises em alimentos, medicamentos, saneantes e cosméticos. Atua também no monitoramento da qualidade da água utilizada nos hemocentros do Estado e dos níveis de agrotóxico a que estão submetidos os trabalhadores rurais.

A Divisão de Epidemiologia e Controle de Doenças é responsável pelo controle e diagnóstico de várias doenças e atua como referência nacional para sorologia de Doença de Chagas e Leishmaniose e referência para os agravos de meningites, doenças enterais, difteria e coqueluche para os estados de Minas Gerais, Bahia, Espírito Santo e Rio de Janeiro. É referência regional para o diagnóstico de tuberculose, IST/AIDS, dengue, febre amarela, hepatite, sarampo, febre maculosa, dentre outras.

A Divisão de Vigilância Sanitária tem como finalidade realizar testes e exames complementares as ações de vigilância sanitária, ambiental e ocupacional, desenvolvidas pelos órgãos públicos de saúde, participando dessas ações e elaborando programas conjuntos com a Superintendência de Vigilância Sanitária da SES-MG para fiscalização de alimentos, medicamentos, cosméticos, sanitizantes entre outros.

Suas atividades são voltadas para análises microbiológicas, microscópicas, químicas e físicas de alimentos, elucidação de surtos de toxinfecções alimentares, monitoramento da qualidade da água de consumo humano e em serviços de hemodiálises e ambiental, análises toxicológicas e análise fiscal de medicamentos e outros produtos de interesse da saúde.

O Lacen/MG coordena a Rede Estadual de Laboratórios de Saúde Pública (RELSP), composta por nove laboratórios de gestão estadual, localizados nas macrorregiões assistenciais de Minas Gerais.

Pesquisa e Desenvolvimento

A pesquisa científica reforça as prioridades estratégicas institucionais voltadas às demandas de desenvolvimento biotecnológico e proporciona a obtenção de novos métodos, processos e produtos de aplicação na saúde humana e animal. A Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento planeja, coordena, supervisiona, dirige, executa e avalia o desenvolvimento de pesquisas científicas e tecnológicas institucionais. Desenvolve conhecimento científico em assuntos de retorno social, com foco na transformação do conhecimento em novos produtos. Desde a sua criação, tem a finalidade de prospectar toxinas animais: peçonhas de serpentes, aranhas, plantas nativas, microrganismos e produtos de abelhas Apis melífera, na busca de princípios ativos importantes para o desenvolvimento de bioprodutos para a saúde. Mantém, atualmente, 38 projetos de pesquisa em execução. Possui 31 patentes, sendo duas internacionais e um certificado de adição.

Com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig), coordena os programas BIC e BIC Jr, de bolsa de iniciação científica para estudantes de níveis superior e médio. Os programas atendem, em média, a 30 bolsistas por ano, que atuam em diversas áreas da Fundação, desenvolvendo projetos que contribuem em sua formação profissional e acadêmica.

A Diretoria de Pesquisa também coordena o Programa Ciência em Movimento, criado em 2012, com o objetivo de difundir e popularizar a ciência por todo o estado. O Programa viaja pelas cidades mineiras, em um caminhão que leva conhecimento científico e tecnológico, através de linguagem lúdica e popular, estabelecendo uma relação de diálogo entre os pesquisadores e a sociedade e entre ciência, saúde e cultura.

Diretoria Industrial

Somos os produtores exclusivos da Talidomida – medicamento usado no tratamento da hanseníase e com alto potencial para tratamento de outras doenças, como o câncer. Também somos o único laboratório público fornecedor da vacina contra meningite C para o Ministério da Saúde. Por ano, são cerca de 15 milhões de doses de vacina distribuídas.

Na área de produção animal, possui um Biotério, credenciado junto ao Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal, com produção anual de 60 mil camundongos. Os animais são utilizados, principalmente, em fase de testes de qualidade dos soros antitóxicos produzidos pela Fundação.

Em Minas Gerais, mantemos a exclusividade na produção de soros antipeçonhentos, antitóxicos e antivirais, que são disponibilizados nos hospitais públicos de todo o país para tratamento de picada de animais peçonhentos pelo Ministério da Saúde. Para a produção dos soros, a Funed mantém um criadouro de mais de 200 serpentes, quatro mil escorpiões e uma Fazenda Experimental, localizada em Betim, com criação de animais produtores de plasma. Atualmente, a fábrica de soros da Funed está paralisada para reforma, mas retomará sua produção ainda este ano.

Ainda na Produção Animal, a Funed possui uma coleção científica de serpentes, iniciada em 1987 e que conta, atualmente, com um acervo de 2.809 exemplares, sendo provavelmente a maior coleção de serpentes do estado. É visitada com frequência e contribui para estudos taxonômicos, biogeográficos, ecológicos e de história natural. Além das serpentes, a coleção também conta com 52 espécimes de escorpiões e 868 de aranhas.

As coleções científicas são importantes para o conhecimento da biodiversidade. Muitos estudos taxonômicos, ecológicos e biogeográficos apenas são possíveis devido à existência de coleções científicas. Assim, obtêm-se registros adequados e permanentes que se fazem com a conservação de espécimes-testemunho. Coleções biológicas constituem um local adequado para o depósito de animais, plantas e microrganismos coletados por pesquisadores das mais diversas áreas e pela população.

Compromisso com a Qualidade

A Funed é certificada pela ISO 9001:2008 e o escopo da certificação envolve pesquisa, desenvolvimento, produção de medicamentos e análises laboratoriais.

Além da ISO 9001, a Funed possui outras certificações, como a Resolução da Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (RDC 17), conferida à Diretoria Industrial, que dispõe sobre as Boas Práticas de Fabricação de Medicamentos. A Diretoria do Instituto Octávio Magalhães (DIOM) possui certificação da Organização Nacional de Acreditação (ONA), para a Divisão de Epidemiologia e Controle e Doenças (DECD) e certificação da Organização Mundial de Saúde (OMS), para o Serviço de Medicamentos Saneantes e Cosméticos (SMSC). No Controle de Qualidade em Medicamentos, foi o primeiro laboratório do Brasil a ser pré-qualificado pela OMS, sendo um dos seis do país.

A DIOM possui, ainda, 36 ensaios acreditados pela ISO 17025 e pela Rede Brasileira de Laboratórios Analíticos em Saúde (Reblas) e Ensaio de Proficiência em HIV, certificado pela ISO 17043.

Patrimônio da Saúde Pública

A Fundação Ezequiel Dias é uma instituição fundamental para a manutenção das ações do SUS e suas portas estão abertas à população. Quem desejar conhecer um pouco mais sobre a Funed pode agendar uma visita guiada, através do e-mail comunicacao@funed.mg.gov.br.

Visite também  nossas redes sociais:

facebook.com/Funed

instagram.com/funedmg

youtube.com/acsfuned

twitter.com/FunedMG

Publicado em 23/06/2017 às 8:18.