Notícias e Destaques

Bolsista de Iniciação Científica da Funed tem trabalho reconhecido no SBTx Jovem

Os bolsistas de iniciação científica, Frederico Francisco Fernandes e Lara Mendes Ferreira Guimarães, do Serviço de Proteômica e Aracnídeos (SPAR), da Fundação Ezequiel Dias, estiveram presentes no XIV Congresso da Sociedade Brasileira de Toxinologia, realizado entre os dias 27 a 30 de agosto, em Florianópolis/SC.

Frederico e Lara apresentaram respectivamente os trabalhos: “Comparative analysis of the composition and biochemical properties of venom from Phoneutria genus spiders” e “Purification and characterization of Phospholipases A2 from Micrurus lemniscatus venom“.

O objetivo das pesquisas foi a identificar e caracterizar componentes de venenos animais com interesse biotecnológico. Frederico recebeu o 3º lugar na SBTx Jovem, com estudo baseado na comparação de componentes do veneno de outras espécies do gênero Phoneutria, com moléculas já caracterizadas para o veneno aranha armadeira.

A relevância do trabalho se justifica pelo fato de que muitas moléculas do veneno de P. nigriventer vêm sendo estudadas aqui na Funed há mais de 20 anos e muitas delas apresentam potencial biotecnológico, e estão sendo usados por colaboradores na UFMG e na Santa Casa, em pesquisas sobre o priapismo e analgésicos. Entretanto, essas moléculas aparecem em pequena quantidade neste veneno, sendo de grande importância encontrar outras fontes que tenham moléculas parecidas as que  já foram estudadas, como pesquisado pelo bolsista.

A pesquisa foi resultado de um estudo comparativo com outras espécies de aranha armadeira, e mostrou que os venenos destas espécies são equivalentes. Os estudos sobre o veneno da espécie P. nigriventer tiveram início na Funed com o Prof. Carlos Ribeiro Diniz, na década de 80 e são referência até hoje em relação às propriedades deste veneno.

A pesquisa teve como foco avaliar se outras espécies de aranhas do gênero Phoneutria possuíam veneno com as mesmas toxinas produzidas pela Phoneutria nigriventer. Para alcançar os resultados desejados, foi necessário um trabalho de isolamento bastante preciso.  “A metodologia de análise do nosso grupo de pesquisa consistiu-se em isolar duas toxinas de outras duas espécies de aranha, e as conclusões sugerem que as toxinas das duas aranhas são similares às de Phoeneutria nigriventer,” contou Frederico.

Em meio a muitos desafios para poder participar do evento, Frederico conta que ele e o grupo de jovens pesquisadores não pouparam esforços para poder conseguir custear toda a viagem. “É preciso destacar que a nossa participação só foi possível a partir da ajuda de muitas pessoas que acreditaram na disposição que tínhamos em poder participar desse Congresso. Foi minha primeira participação em um evento como esse, e considerando que esse, em especial, era de escala nacional, a expectativa de todos que queriam ir era muito grande.”

A experiência de estabelecer contato com outros pontos de vista de parte da comunidade científica nacional e internacional da área de pesquisa foi uma oportunidade enorme para todos. “A partir da chance de participar desse Congresso, conseguimos nos aproximar de vários pesquisadores de diversas partes do país e que também estão engajados em áreas de pesquisa bastante próximas das nossas aqui na Funed.”

IMG_2487

 Texto: Mateus Carvalho

Imagem: José Júnior

Publicado em 12/09/2017 às 16:10.