Vigilância Epidemiológica

 

A Vigilância Epidemiológica é definida por um conjunto de ações que promovem a detecção e prevenção de doenças e agravos transmissíveis à saúde e seus fatores de risco, tendo como objetivo principal fornecer orientação técnica permanente para os profissionais de saúde.

É responsabilidade da epidemiologia elaborar estudos e normas, divulgar informes epidemiológicos e notas técnicas, que têm a finalidade de recomendar e adotar medidas de prevenção e controle das doenças transmissíveis e infecções sexualmente transmissíveis; e coordenar a resposta estadual às doenças e agravos transmissíveis, de notificação compulsória.  As instituições envolvidas na vigilância epidemiológica estadual são os laboratórios centrais de saúde pública, as secretarias estaduais e municipais de saúde e as unidades de saúde como um todo.

A Fundação Ezequiel Dias é referência na vigilância epidemiológica do Estado, e possui, no Laboratório Central de Saúde Pública, uma divisão voltada exclusivamente a esta vigilância: a Divisão de Epidemiologia e Controle de Doenças (DECD), que responde às ocorrências de diagnósticos laboratoriais de casos suspeitos de doenças de notificação compulsória e realiza 99,91% das solicitações dos exames procedentes do Sistema Único de Saúde (SUS). A DECD realiza análises para mais de 40 doenças, que auxiliam para esclarecimentos de diversos surtos, possibilitando, assim, as tomadas de medidas (tratamento clínico, vacinações etc.) pelas demais instituições envolvidas. Participa, também, no desenvolvimento de pesquisas e projetos científicos que visam o aprimoramento da Saúde Pública em Minas Gerais, além de ministrar treinamentos a toda a rede atendida pela Funed.

Para ter acesso às Fichas, Formulários, Manuais e Termos de Coleta de Amostras, clique aqui.


Produção de Meios de Cultura

A Divisão de Higienização e Produção de Meios de Cultura (DHPMC), uma das divisões do Instituto Octávio Magalhães – Laboratório Central de Saúde Pública de Minas Gerais (Lacen-MG), produz meios de cultura para os laboratórios de microbiologia da Funed e fornece kits para coleta e transporte de amostras.

Podem solicitar kits: Gerências Regionais de Saúde (GRS), Superintendências Regionais de Saúde (SRS), Laboratórios Macrorregionais e hospitais da Região Metropolitana de Belo Horizonte.

As solicitações deverão ser encaminhadas através do Formulário de Solicitação e Devolução de Kits de Coleta e Transporte de Amostras, com antecedência mínima de 72 horas.

Os produtos solicitados devem ser retirados pelo solicitante, diretamente na expedição da DHPMC/Funed, mediante apresentação do formulário de solicitação preenchido e assinado pelo solicitante, das 8h às 16h.

Ao serem transportados, os kits deverão ser acondicionados em caixa térmica ou de isopor, contendo gelo reciclável, trazidos pelos próprios solicitantes, para que mantenham a refrigeração durante o transporte.

Os prazos de validade definidos são válidos desde que não ocorra violação das embalagens e as condições de armazenamento sejam respeitadas.

Kits fornecidos:

  • Meningite bacteriana (não são fornecidos para região metropolitana de Belo horizonte);
  • Coqueluche (devem ser transportado sempre na VERTICAL);
  • Difteria;
  • Meio Ogawa Kudoh.
EnglishPortuguêsEspañol
Acessibilidade